terça-feira, 20 de janeiro de 2009

DUAS OBRAS PRECIOSAS

A Cia das Letras nos brindou neste final de ano com duas pérolas de Jorge Amado. Perdidas no tempo, na verdade nas páginas amareladas da revista Senhor (no logo se lia SR.) estes dois contos foram embrião de outras obras de Jorge, assim como o foi Quincas Berro D'Água, novela publicada na mesma esplêndida revista. Além do resgate do texto o leitor irá contar com análises de textos e uma impecável apresentação grafica. Dois pequenos livros de duas grandes obras. (E.C.)


O MILAGRE DOS PÁSSAROS

Jorge Amado


Ilustrações de Joana Lira

Páginas - 64

"Lançado em 1979, O milagre dos pássaros narra um causo que se passa na cidade alagoana de Piranhas, às margens do São Francisco, "território de colhudos", e pode ser lido como uma sátira marota das relações conjugais e extraconjugais no interior do nordeste. O milagre em questão é o que propicia a fuga espetacular do poeta e trovador Ubaldo Capadócio, recém-chegado à cidade, da ira homicida do capitão Lindolfo Ezequiel, quando este o encontra na cama com sua esposa, a bela e cobiçada Sabô."


DE COMO O MULATO PORCIÚNCULA DESCARREGOU O SEU DEFUNTO

Jorge Amado

Ilustrações de Andrés Sandoval

Páginas - 80

"Obra-prima dentre as narrativas breves de Jorge Amado, De como o mulato Porciúncula descarregou seu defunto foi publicado originalmente na revista Senhor, em 1959, e editado em livro apenas em 2004, numa coletânea de contos. Narrada justamente como conversa de bar, conta, a rigor, duas histórias. Uma oculta, a do taciturno Gringo, que mesmo depois de beber litros de cachaça não se dispunha a falar sobre a morte que carregava nas costas, segundo diziam. E a outra, que se desvela aos poucos, a do amor platônico entre o mulato Porciúncula e Maria do Véu, prostituta obcecada por casamentos que ele conhece em Salvador e que havia sido expulsa de casa a pauladas, aos quinze anos, depois de perder a virgindade com o filho de um coronel."


Lançamentos daJustificar